foto: Ueline
Gonçalo Ribeiro Telles e a destruição da Reserva Agrícola Nacional e da Reserva Ecológica Nacional

Jornadas do Ambiente da AAUE

O novo “nobel” da Arquitetura Paisagista, Professor Gonçalo Ribeiro Telles, esteve na Universidade de Évora, onde participou no debate sobre a eliminação da Reserva Agrícola Nacional (RAN) e da Reserva Ecológica Nacional (REN), no âmbito das Jornadas do Ambiente da AAUE.

O fundador da licenciatura em Arquitetura Paisagista na UE foi coautor da Lei de Bases do Ambiente e pensador das leis sobre a RAN e REN, normativos que permitiram ao longo de três décadas preservar terrenos, evitando fenómenos como inundações, erosão das arribas e também a preservação da biodiversidade dos locais.

Gonçalo Ribeiro Telles aludiu para “a necessidade de se proteger o espaço aberto, apesar do espaço aberto não ser compreendido pela classe intelectual e política dos nossos dias.” Para o arquiteto paisagista, “ o espaço aberto resulta na sustentabilidade humana, porque se o espaço edificado nos dá abrigo, o espaço aberto dá-nos alimento e água. Acabar com a REN e com a RAN é destruir a civilização e a dignificação da paisagem e do território”, reforçou Gonçalo Ribeiro Telles.

Margarida Cancela d’Abreu, docente do Departamento de Paisagem, Ambiente e Ordenamento explicou que “quando estamos a defender a REN e a RAN, estamos a defender zonas sensíveis, como dunas, margens de albufeiras, arribas e estuários e toda a sua riqueza florística e faunística e a evitar futuros desastres.”

O Engenheiro Eugénio Sequeira, especialista em ambiente e do desenvolvimento sustentável, deixou fortes críticas à classe política, nomeadamente ao nível da definição de políticas relacionadas com o desenvolvimento sustentável. Para Eugénio Sequeira, “o paradigma atual de desenvolvimento e crescimento restringe-se à construção e edificação de casas, sendo o ambiente colocado de parte em favor do lucro rápido.”

Publicado em 12.04.2013